Blog

A importância do feedback nas empresas.

Um dos principais desafios das empresas, sejam elas de grande, médio ou pequeno porte, é a gestão de pessoas. A falta de comunicação entre o empregador e seus funcionários pode criar inúmeras dificuldades, além de muitas vezes ser decisiva economicamente para o negócio. Uma das soluções para essa questão é a realização de feedbacks. Mas, como implantar e qual é a real importância do feedback?

Quais são as vantagens para a empresa?
Dentre os principais benefícios da realização do feedback em uma empresa, estão: a melhora no relacionamento entre empreendedor e colaboradores e a prevenção de comportamentos inadequados. Como consequência, os funcionários se tornam mais produtivos, criando-se assim, uma equipe de alta performance. Outro ponto que deixa em evidência a importância do feedback é que, por meio dele, se torna mais simples a resolução de problemas internos. Afinal, quando aplicada corretamente, essa ferramenta cria uma relação de confiança entre os envolvidos.

Quais as vantagens para o profissional?
A importância do feedback vai muito além dos benefícios para a empresa. O trabalhador também pode ser bastante favorecido com esse método. Pois, com uma conversa clara e franca, ele poderá compreender o que a empresa espera dele, seja com relação aos seus resultados ou comportamentos. Além disso, também saberá qual é a visão da companhia e do seu superior no que diz respeito ao seu trabalho. Com essas informações, o colaborador consegue corrigir os pontos negativos e melhorar seu desempenho.

Como aplicar o feedbacks na sua empresa?
Agora que você já compreendeu a importância do feedback, chegou o momento de aprender como fazê-lo. Para começar, é preciso saber escolher o melhor momento para falar com seu funcionário. Escolha um período próximo dos acontecimentos que serão tratados, assim o colaborador terá melhores condições de argumentar. O feedback também deve ser objetivo, apontando claramente os pontos de melhora, as expectativas com relação a prazos, resultados e postura. Tudo isso deve ser embasado com dados concretos e com uma certa periodicidade. Assim, é possível acompanhar a evolução do profissional. Além disso, é fundamental entender essa ferramenta como uma conversa e não um monólogo. Ou seja, o funcionário também deve ter liberdade para debater sobre os temas abordados, bem como sua satisfação no trabalho e metas para o futuro.

O que não deve ser feito
Um bom feedback deve focar basicamente em questões de comportamento dentro da empresa e nos resultados obtidos pelo colaborador. Por isso, questões pessoais e de caráter não devem ser abordadas. Outro erro comum, é a falta de clareza ao expor o que deve ser corrigido e mantido. Nesse momento, é fundamental olhar à frente, dando sugestões para o futuro, ao invés de insistir nos erros cometidos. Isso, inclusive, pode desestimular o profissional. E por fim, jamais deixe de levar em consideração as reclamações e anseios do funcionário. Afinal, o objetivo da realização do feedback é que a empresa cresça como um todo.

< Voltar